A evolução das TVs e a experiência da segunda tela

As TVs estão cada vez mais conectadas à internet um exemplo disso são as Smart TVs que realizam uma integração das tecnologias de internet com TVs de alta definição que possuem essa funcionalidade. Mas a bola da vez é outra; também tem a ver com internet, mas vai além. É a tecnologia “second screen” – do inglês, “segunda tela” – que usa os dispositivos móveis como tablets e smartphones para oferecer uma extensão do conteúdo apresentado na TV.

A aposta é grande e parece certeira. Afinal, a segunda tela não tenta criar um novo comportamento nos telespectadores, apenas aproveita uma tendência já consolidada. Diversas pesquisas ao redor do mundo dão conta que cerca de 70% das pessoas que possuem smartphones ou tablets utilizam os aparelhos enquanto assistem TV.

“A segunda tela amplia a experiência com base no conteúdo que você vê na primeira tela, ter a possibilidade de interagir, navegar, votar, comprar, recomendar, participar com os amigos. A experiência é bem ampla”, afirma Gustavo Mills, CEO da Klug TV.

Isso talvez seja o mais interessante; são inúmeras as possibilidades para enriquecer a programação da TV ou de um filme, por exemplo. No Brasil, a primeira grande experiência com a “second screen” na TV aberta foi realizada durante a Copa das Confederações.

“Durante os jogos, tudo que acontecia na tela tinha uma extensão para o usuário. Ele não precisava abrir o aplicativo e ficar tentando encontrar o conteúdo. Ele já estava disponível para ele. No momento de um gol do Neymar, por exemplo, você poderia dar a nota pro Neymar”, conta Mills.

Mas mesmo antes da bola rolar, a série “Hannibal”, sobre o famoso canibal Hannibal Lecter, utilizou os recursos da segunda tela para trazer informações extras da atração em tempo real. Enquanto o usuário assistia ao seriado, recebia detalhes sobre o fato, bastidores de cenas, relações entre os personagens e até curiosidades sobre o ator.

Nos Estados Unidos, algumas emissoras também já oferecem aplicativos para determinadas programações utilizando a “second screen”. Além de extras, os apps permitem também total integração com redes sociais, como Twitter e Facebook.

Além de você, telespectador, quem também deve ganhar – e muito – com a novidade é a publicidade. Imagine receber na tela do seu smartphone a oportunidade de comprar um acessório ou roupa que o artista estiver usando… As mulheres com certeza ficariam animadas com a ideia de comprar as mesmas roupas e joias usadas pelas atrizes de novelas em tempo real. Os trinta segundo dos comerciais também seriam estendidos para a tela do seu dispositivo com a possibilidade de compra imediata… já pensou?!

Tudo bem, mas como a “second screen” funciona? Basicamente, existem duas formas de sincronizar o conteúdo extra com o que está passando na TV. A primeira, totalmente automatizada, é através de uma marca d’água digital. Com o aplicativo aberto, o microfone do seu smartphone ou tablet capta um som emitido pela TV que só o aparelho é capaz de identificar; este é o sinal para que determinado conteúdo seja exibido na tela do seu dispositivo móvel naquele momento. A segunda maneira, indispensável para programas “ao vivo”, é a sincronização manual, na qual um operador publica determinado conteúdo quando for conveniente.

Independente da forma como for feito, o importante é a experiência do usuário. Mais uma vez, é a internet e o mundo virtual influenciando a forma como assistimos televisão. Outra novidade anunciada recentemente e que segue a mesma tendência é o Chromecast; uma espécie de pendrive que através da entrada HDMI transforma uma TV normal em um dispositivo inteligente. O dispositivo permite que através de uma rede wi-fi, você espelhe a tela do seu smartphone, tablet ou computador na tela da sua TV.

O Chromecast funciona tanto com aparelhos com sistema Android e também iOS, além do navegados Chrome para Macs e PCs. Outro diferencial do dispositivo, pelo menos nos Estados Unidos, é o preço: 35 dólares, pouco mais de 70 reais. Nada que se compare aos set top boxes (aparelhos de tv a cabo ou equivalente) já disponíveis no mercado. Infelizmente não há previsão de quando o Chromecast começará a ser vendido fora dos Estados Unidos.

O vídeo de apresentação do Chromecast mostra como é fácil de usar a novidade: depois de plugá-lo na TV, é só baixar os aplicativos para smartphone ou tablet e escolher o que assistir no Netflix, YouTube ou Google; depois, é só pressionar um botão e o conteúdo surge na TV. Realmente, ao lado do second screen, mais uma novidade para revolucionar a nossa relação com a TV.

Créditos: Olhar Digital

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s