Vírus HIV pode ter partido de Kinshasa (RDC África)

Vírus HIV
A pandemia do HIV hoje deve ter começado sua expansão global a partir de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo (RDC), de acordo com um novo estudo publicado na Science. (divulgação).

Uma equipe internacional de cientistas, das Universidades de Oxford e Leuven, reconstruiu a história genética do HIV-1 grupo M pandêmica, o evento viu o HIV se espalhar pelo continente Africano e ao redor do mundo e concluiu que se originou em Kinshasa. A análise da equipe sugere que o ancestral comum do grupo M é altamente provável de ter surgido em Kinshasa por volta de 1920 (com 95% das datas estimadas entre 1909 e 1930).

O vírus HIV é conhecido por ter sido transmitido a partir de primatas e macacos para seres humanos – pelo menos 13 vezes – mas apenas um destes acontecimentos de transmissão originou uma pandemia humana. Foi somente com o evento que levou ao HIV-1 grupo M fez a pandemia ocorrer, resultando em quase 75 milhões de infecções até o momento. A análise da equipe sugere que, entre os anos 1920 e 1950, uma tempestade perfeita de fatores: incluindo o crescimento urbano, fortes ligações ferroviárias durante o domínio colonial belga, e alterações no comércio do sexo, combinaram para facilitar o HIV emergir em Kinshasa e se espalhar pelo globo.

Um relatório da pesquisa foi publicado na revista Science desta semana

Até agora, a maioria dos estudos têm tido uma abordagem genética fragmentada da história do HIV, olhando particularmente os genomas do HIV em locais específicos – disse o professor Oliver Pybus do Departamento da Universidade de Oxford de Zoologia -, um autor sênior desta pesquisa. Pela primeira vez nós analisamos toda a evidência disponível, utilizando as mais recentes técnicas filogeográficas, que nos permitem estimar estatisticamente, de onde um vírus vem. Isto significa que podemos dizer com um alto grau de certeza onde e quando a pandemia do HIV se originou. Parece uma combinação de fatores em Kinshasa, no início do século 20 que criou uma “tempestade perfeita” para o surgimento do HIV, levando a uma epidemia generalizada com impulso irrefreável que desenrolou em toda a África subsaariana.

Nosso estudo exigiu o desenvolvimento de um quadro estatístico para reconstruir a propagação do vírus através do espaço e tempo de suas sequencias do genoma”, disse o professor Philippe Lemey da Universidade do Instituto Rega de Leuven, outro autor sênior da pesquisa. “Uma vez que as origens espaços-temporais da pandemia fossem claras, pudemos comparar com os dados históricos e tornou-se evidente que a disseminação precoce do HIV-1 a partir de Kinshasa para outros centros populacionais seguiram padrões previsíveis.

RDC
Localização da República Democrática do Congo. (divulgação).

Um dos fatores analisados pela equipe sugere que a chave para as origens da epidemia do HIV eram ligações de transportes da RDC, em especial os seus caminhos ferroviários, que fez Kinshasa um dos melhores centros de conexão para todas as cidades da África Central.

Os dados de arquivos coloniais nos dizem que até o final de 1940 mais de um milhão de pessoas viajaram por Kinshasa nas estradas de ferro a cada ano, disse o Dr. Nuno Faria, do Departamento de Zoologia, primeiro autor do estudo da Universidade de Oxford. Nossos dados genéticos nos dizem que o HIV rapidamente se espalhou pela República Democrática do Congo (um país do tamanho da Europa Ocidental), viajando com as pessoas ao longo de ferrovias e hidrovias para chegar a Mbuji-Mayi e Lubumbashi, no extremo sul e Kisangani, no extremo Norte até o final da década de 1930 e início dos anos 1950. Isso ajudou a estabelecer focos secundários precoces de transmissão do HIV-1 em regiões que estavam bem ligadas a países da África Austral e Oriental. Nós pensamos na possibilidade das mudanças sociais em torno da independência, em 1960, viram o vírus se dividir a partir de pequenos grupos de pessoas infectadas para infectar a população em geral e, eventualmente, o mundo.

Foi sugerido que o crescimento demográfico ou diferenças genéticas entre HIV-1 grupo M e outras cepas podem ser fatores importantes no estabelecimento da pandemia do HIV. No entanto evidências da equipe sugerem que, ao lado do transporte, mudanças sociais, tais como mudanças de comportamento dos profissionais do sexo e iniciativas de saúde pública contra outras doenças que levaram ao uso inseguro de agulhas, pode ter contribuído, para transformar o HIV em uma epidemia de máxima transmissão, apoiada nas ideias originalmente apresentadas pelo coautor do estudo Jacques Pepin da Universidade de Sherbrooke, no Canadá.

O Professor Oliver Pybus disse: nossa pesquisa sugere que procurando o animal original para transmissão humana do vírus (provavelmente através da caça ou a manipulação de carne na mata), houve apenas uma pequena “janela” durante a era colonial belga, desta estirpe particular de HIV, ter surgido e se espalhar em uma pandemia. Entretanto, foram os sistemas de transporte dos anos 1960, como as ferrovias, permitiram ao vírus se espalhar para grandes distâncias metropolitanas e se transformar em uma pandemia.

A equipe diz que mais pesquisas serão necessárias para compreender o papel que diferentes fatores sociais podem ter desempenhado nas origens da pandemia do HIV; em especial, a investigação sobre espécimes nos arquivamentos para estudar as origens e evoluções do HIV e pesquisas sobre a relação entre a transmissão da hepatite C e o uso de agulhas inseguras como parte de iniciativas de saúde pública, possibilitando mais pistas sobre as condições que facilitaram espalhar amplamente o HIV.

Fonte: Universidade de Oxford

2 comentários sobre “Vírus HIV pode ter partido de Kinshasa (RDC África)

  1. Caro Ronaldo,

    A ciência, e a verdade, ou como canta Marisa Monte na onde da filosofia de Nietzsche, “verdade uma ilusão”.

    1- http://www.aidsorigins.com/

    2- Book: http://www.aidsorigins.com/book-covers

    3- http://www.aidsorigins.com/sections/river

    From the Dust Jacket of The River
    Submitted by admin on Tue, 18/10/2005 – 1:34pm
    IT NOW SEEMS CERTAIN THAT HIV can be traced back to retroviruses found in certain species of African apes and monkeys. But why did these simian viruses suddenly transfer to the human species? Those who believe in a natural movement across the species barrier would be hard-pressed to explain why this transfer did not occur until the late twentieth century. Do we need to look elsewhere for the true source of HIV and AIDS?

    4- Summary of Origins Debate: http://www.aidsorigins.com/origins-aids-pandemic

    A Quick Guide to The Principal Theories and the Alleged Refutations
    PREAMBLE: The oral polio vaccine (OPV) theory of origin of AIDS proposes that an experimental OPV made in a unique manner was administered to nearly one million Africans in the 1957-1960 period, leading to the infection of perhaps 10 to 500 people from the former Belgian Congo and Ruanda-Urundi with the pandemic strain of HIV-1, thus initiating the AIDS pandemic. (UNAIDS has proposed that by 2010 over 80 million people had been infected with HIV-1, of whom some 46 million had died from AIDS. Even if some statisticians claim that the true figures are nearer to two thirds of these, AIDS still represents the most disastrous infectious disease epidemic that our species has ever experienced.)
    Certain opponents of the OPV theory have sought to personalise it as “Ed Hooper’s theory”, but the theory had already been proposed, discussed and published by many others (such as Louis Pascal, Jennifer Alexander, Mike Lecatsas, Blaine Elswood, Raphael Stricker and Tom Curtis) in the years 1987-1992, before I first heard about it in the summer of 1992. I compared it with the 15 or so other theories of origin I had been examining from 1990-1992, and found that (apart from the default bushmeat theory, which has it that HIV-1 was acquired by a human during the hunting of chimps or the preparation of chimpanzee bushmeat) this was the only hypothesis that stood up to scrutiny. In the years since 1992, I and many others

    (including the great evolutionary biologist, Bill Hamilton)

    have examined further evidence from many different sources, and found that OPV is in fact a far more compelling theory of origin than bushmeat. We now know that roughly 15% of at least two subspecies of wild chimpanzees are naturally infected with a simian immunodeficiency virus (SIV) that is closely related to HIV-1. What has been crucial in the years since 2001 has been the gradual gathering of evidence from many different sources that batches of the experimental OPV were prepared locally in Africa in the cells of common chimpanzees and bonobos.
    Let me now examine the two origins theories in a little more detail.
    – See more at: http://www.aidsorigins.com/origins-aids-pandemic#sthash.7G8eL4xk.dpuf

    5- http://www.aidsorigins.com/origins-of-aids-documentary-2003

    The Origin of AIDS (Full Documentary)

    E la nave va

    Curtir

  2. Republicou isso em engenhonetworke comentado:
    Caro Ronaldo,

    A ciência, e a verdade, ou como canta Marisa Monte na onde da filosofia de Nietzsche, “verdade uma ilusão”.

    1- http://www.aidsorigins.com/

    2- Book: http://www.aidsorigins.com/book-covers

    3- http://www.aidsorigins.com/sections/river

    From the Dust Jacket of The River
    Submitted by admin on Tue, 18/10/2005 – 1:34pm
    IT NOW SEEMS CERTAIN THAT HIV can be traced back to retroviruses found in certain species of African apes and monkeys. But why did these simian viruses suddenly transfer to the human species? Those who believe in a natural movement across the species barrier would be hard-pressed to explain why this transfer did not occur until the late twentieth century. Do we need to look elsewhere for the true source of HIV and AIDS?

    4- Summary of Origins Debate: http://www.aidsorigins.com/origins-aids-pandemic

    A Quick Guide to The Principal Theories and the Alleged Refutations
    PREAMBLE: The oral polio vaccine (OPV) theory of origin of AIDS proposes that an experimental OPV made in a unique manner was administered to nearly one million Africans in the 1957-1960 period, leading to the infection of perhaps 10 to 500 people from the former Belgian Congo and Ruanda-Urundi with the pandemic strain of HIV-1, thus initiating the AIDS pandemic. (UNAIDS has proposed that by 2010 over 80 million people had been infected with HIV-1, of whom some 46 million had died from AIDS. Even if some statisticians claim that the true figures are nearer to two thirds of these, AIDS still represents the most disastrous infectious disease epidemic that our species has ever experienced.)
    Certain opponents of the OPV theory have sought to personalise it as “Ed Hooper’s theory”, but the theory had already been proposed, discussed and published by many others (such as Louis Pascal, Jennifer Alexander, Mike Lecatsas, Blaine Elswood, Raphael Stricker and Tom Curtis) in the years 1987-1992, before I first heard about it in the summer of 1992. I compared it with the 15 or so other theories of origin I had been examining from 1990-1992, and found that (apart from the default bushmeat theory, which has it that HIV-1 was acquired by a human during the hunting of chimps or the preparation of chimpanzee bushmeat) this was the only hypothesis that stood up to scrutiny. In the years since 1992, I and many others

    (including the great evolutionary biologist, Bill Hamilton)

    have examined further evidence from many different sources, and found that OPV is in fact a far more compelling theory of origin than bushmeat. We now know that roughly 15% of at least two subspecies of wild chimpanzees are naturally infected with a simian immunodeficiency virus (SIV) that is closely related to HIV-1. What has been crucial in the years since 2001 has been the gradual gathering of evidence from many different sources that batches of the experimental OPV were prepared locally in Africa in the cells of common chimpanzees and bonobos.
    Let me now examine the two origins theories in a little more detail.
    – See more at: http://www.aidsorigins.com/origins-aids-pandemic#sthash.7G8eL4xk.dpuf

    5- http://www.aidsorigins.com/origins-of-aids-documentary-2003

    The Origin of AIDS (Full Documentary)

    E la nave va

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s