Entre significância estatística e importância científica: Qual a ciência que queremos?

Ziliak e McCloskey demonstram que cientistas cometem um erro ao basear suas decisões sobre o que é científico, e relevante em termos práticos, em padrões estritos de testes de significância estatística. Segundo os autores, este erro tem causado problemas econômicos, injustiças e até mesmo a perda de vidas. Vou tentar sintetizar o argumento dos autores aqui…

Demografia Unicamp

Por Vitor Hugo Klein Junior
Pesquisador do Grupo Strategos  – Esag / UDESC

Scientific method: Statistical errors. Nature

A ciência está em crise. Não é uma crise de produção. Esta vai de vento em popa: A quantidade de jornais e publicações cresce, patentes são requeridas, e produtos e royalties são gerados. A crise que me refiro é uma crise da capacidade de julgamento dos cientistas. Esta foi a conclusão a que chegaram os pesquisadores Stephen Ziliak e Deirdre McCloskey. Segundo eles, mais de 80% dos artigos científicos – em campos que variam da economia à medicina, biologia e agronomia – usam equivocadamente testes de significância estatística em suas análises. Não há dúvida, a estatística é a ferramenta por excelência por trás dos avanços científicos e tecnológicos alcançados pela humanidade nos últimos três séculos. E é aí que mora o problema.

Ziliak e McCloskey demonstram que cientistas cometem um erro ao basear suas decisões sobre o…

Ver o post original 903 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s