Segredos da Força Aérea do Futuro (Completo) Discovery Channel

Sinopse: Conheça a revolucionária tecnologia e as aeronaves de ponta que serão empregadas nas guerras do século 21 e no futuro. O crescimento da tecnologia também proporciona o avanço dos sistemas bélicos.

Créditos: Discovery Channel – Documentários HD

O futuro da mente – Michio Kaku

“O cérebro, gostemos ou não, é uma máquina. Os cientistas chegaram a essa conclusão, não porque eles são assassinos mecanicistas, mas porque acumularam evidências de que todos os aspectos da consciência podem ser amarrados ao cérebro. Steven Pinker.”

Capítulo 4

Telepatia

“Houdini acreditava que a verdadeira telepatia era impossível. Mas a ciência está provando que Houdini estava errado.”

 

O futuro da mente
Clique na imagem para download em formato Epub. (divulgação).

A telepatia é agora objeto de intensa pesquisa em universidades ao redor do mundo onde os cientistas são capazes de ler palavras individuais, imagens e pensamentos de nosso cérebro, combinando as mais recentes tecnologias de digitalização com um software de reconhecimento de padrões. Isso pode revolucionar a forma como as pessoas vítimas de AVC (acidente vascular cerebral), incapazes de articular seus pensamentos a não ser através de piscar os olhos. Mas isso é apenas o começo. Também pode mudar radicalmente a forma como interagimos com os computadores e o mundo exterior.

Como sabemos, o cérebro é elétrico. Em geral, sempre que um elétron é acelerado, se desprende radiação eletromagnética. O mesmo vale para os elétrons oscilantes dentro do cérebro. Parece algo saído da ficção científica ou fantasia, mas os seres humanos naturalmente emitem ondas de rádio. Mas esses sinais são muito fracos para ser detectados por outros, e mesmo se pudéssemos perceber essas ondas de rádio, seria difícil para nós, dar algum sentido a elas. Mas os computadores estão mudando tudo isso. Os cientistas já são capazes de obter aproximações grosseiras dos pensamentos de uma pessoa usando exames de EEG (Eletroencefalograma). Ao colocar um capacete com sensores de EEG em sua cabeça, e se concentrar em certos quadros, por exemplo, a imagem de um carro ou uma casa. Os sinais de EEG foram registrados para cada imagem e, eventualmente, um dicionário rudimentar de pensamentos foi gerado, com uma correspondência de um para um entre a imagem EEG e pensamentos de uma pessoa.

A vantagem dos sensores de EEG é que não são invasivos e rápidos. Você simplesmente coloca um capacete que contenha muitos eletrodos em sua cabeça e esses sensores captam as frequências em forma de EEG, podendo identificar os sinais que mudam a cada milissegundo. Mas o problema com os sensores de EEG, como já vimos, é a interferência direta das ondas electromagnéticas causada na medida em que passam através do crânio, é difícil localizar a origem exata. Este método pode dizer se você está pensando em um carro ou numa casa, mas não pode recriar a imagem do carro. É aí que o trabalho do Dr. Gallant pode nos ajudar.

Gravações da mente

O epicentro de grande parte desta pesquisa está na Universidade da Califórnia em Berkeley, onde recebi meu PhD em física teórica alguns anos atrás. Eu tive o prazer de visitar o laboratório do Dr. Jack Gallant, cujo grupo tem realizado um feito, uma vez considerado impossível: gravar vídeos do pensamento das pessoas. “Este é um grande salto para reconstruir imagens internas. Estamos abrindo uma janela para os filmes em nossa mente”, diz o Dr. Gallant.

Quando visitei seu laboratório, a primeira coisa que notei foi uma equipe de jovens, pós-doutorandos e pós-graduandos ansiosos e amontoados atrás de suas telas de computador, olhando atentamente para as imagens de vídeo que foram reconstruídas a partir de tomografias do cérebro de alguém. Conversando com sua equipe você se sente como se estivesse testemunhando a história científica na televisão. Continue lendo “O futuro da mente – Michio Kaku”

Gripen NG – Conheça o novo avião caça brasileiro

Em 13 de dezembro de 2013, a FAB (força aérea brasileira) resolveu adquirir de vez um lote de 36 aeronaves da fabricante Sueca Saab. Foi uma decisão acertada e estratégica, sendo que a própria Embraer poderá fabricar o avião com total transferência tecnológica nos próximos anos.

Como pode ser visto nos vídeos abaixo, o Gripen NG (Nova Geração), é um avião caça versátil, tecnologicamente avançado e possui o melhor custo benefício da atualidade.

Parabéns Embraer e FAB pela decisão em adquirir o Gripen!


Principais características do Gripen NG – informações técnicas

Comprimento (excluindo o tubo de Pitot) 14,1 m
Envergadura da asa (incluindo os lançadores) 8,6 m
Altura geral 4,5 m
Peso máximo na decolagem 16,5 toneladas
Velocidade máxima M2.0 e supersônica em todas as altitudes
Empuxo > 22.000 lb
Carga útil 7,2 toneladas
Combustível máximo 7 toneladas
Super Cruise > M 1.2
Manobrabilidade 9 g
Alcance máximo > 4000 km
Distância de pouso < 500 m
Substituição de motor < 1 hora
Tempo de imobilização no solo < 10 min
Custo por hora de voo < US$ 4000

Capacidade operacional

Como caça multimissão de última geração, o Gripen NG incorpora o alcance operacional, a capacidade de carga útil e o recurso de guerra centrada em rede (NCW) para desempenhar todas as missões designadas pela Força Aérea Brasileira, tanto em operações militares nacionais como regionais. O recurso NCW do Brasil será significativamente aprimorado, operando-se o Gripen NG em combinação com o sistema Embraer E-99 ERIEYE.

Avançado Sistema de Armamentos

O Gripen NG integra um conjunto completo de sensores, com total flexibilidade de integração de armas, podendo ser equipado com armas adquiridas de outros fornecedores no mundo. A capacidade de sobrevivência é garantida pelo equilíbrio existente entre as baixas assinaturas no espectro visível, infravermelho e radar, assim como por um avançadíssimo sistema modular de Guerra Eletrônica e de Autoproteção.

Solução de suporte

O conceito de logística é desenvolvido para atender às exigências da Força Aérea Brasileira e maximiza a utilização da infraestrutura que o Brasil já tem. O programa de treinamento usa a infraestrutura existente, em combinação com acessórios de treinamento e o sistema Gripen, a fim de maximizar os benefícios de treinamento.

Melhoria Contínua

O Gripen NG é uma versão consideravelmente aprimorada do já comprovado caça multiemprego Gripen C/D, atualmente em serviço. Concebido para combater no ambiente de Guerra Centrada em Rede (NCW) do Século XXI, o projeto flexível e modular do Gripen faz com que o aprimoramento e o desenvolvimento contínuo apresentem tanto baixo risco como custo-benefício. O programa do Gripen NG cobre o desenvolvimento de todos os principais sensores e aviônicos, inclusive a comunicação de dados, os sistemas de autoproteção, a integração de armas, bem como os aprimoramentos da estrutura do avião e da propulsão.

Crescimento Contínuo

O Gripen NG é uma plataforma de “baixo risco”, acompanhada de um programa já custeado de desenvolvimento contínuo e melhorias garantidas.  O Gripen NG tem uma grande capacidade de crescimento, o que é uma garantia de que atenderá a todas as demandas futuras.

Caça Centrado em Rede

O Gripen NG é realmente um caça Centrado em Rede. Incorpora os sistemas de links de dados multifrequenciais mais desenvolvidos e seguros do mundo, conferindo ao piloto uma completa noção da situação ao seu redor, em todos os modos de operação.

Superior Fusão de Dados

Tem um sistema de missão com aviônicos perfeitamente integrados, resultando em uma fusão total dos dados de seus sensores e, em decorrência, em uma capacidade de combate excepcional, garantindo o lançamento extremamente preciso de armas inteligentes.

Cockpit Digital Inteligente

Apresenta um avançado layout 100% digital, com grandes e coloridos displays MFD (Multi-Functional Displays), controles HOTAS (Hands-On-Throttle-And-Stick) e capacete com visor acoplado HMD (Helmet Mounted Display).

Alcance e Raio de Ação

Graças a seus maiores tanques de combustível, o Gripen NG, na configuração de Patrulha Aérea de Combate, alcança um raio de combate de 700 nm (milhas náuticas), ou seja, 1.300 km, a partir da base de operações, com mais de 30 minutos “na estação”.  Tem um alcance de traslado de 2.200 nm (4.000 km).

Enxergue Primeiro 

Uma garantia da alta probabilidade de vitória em qualquer engajamento é a combinação de baixas assinaturas no espectro visual, radar e infravermelho, com uma carlinga digital inteligente, o mais avançado radar AESA (active electronically scanned array – varredura eletrônica ativa), o sensor de busca e rastreamento no infravermelho IRST (Infra Red Search & Track) e uma superior fusão de sensores, incluindo a melhor integração de armas de última geração e o conjunto de guerra eletrônico.

Agilidade Excepcional

O Gripen NG é o caça mais ágil do mundo em combate de perto. Combina um avançado layout aerodinâmico e uma configuração canard-delta com um sistema triplex de controle de voo fly-by-wire digital (sistema de controle por cabo elétrico é um tipo de controle das superfícies móveis de um avião por computador).

Alta Disponibilidade Operacional

Exigências mínimas de suporte logístico conferem um alto nível de disponibilidade operacional.

Confiabilidade

120 mil horas de voo acumuladas, em total segurança, nas Forças Aéreas da Suécia, República Tcheca, Hungria e África do Sul, assim como na Escola de Pilotos de Teste do Reino Unido (ETPS).

Custo de Ciclo de Vida

O Gripen NG apresenta os menores custos operacionais e de logística entre todos os caças atualmente em serviço.

Desenvolvimento Futuro

O Gripen foi desenvolvido para se adaptar à evolução das ameaças e exigências operacionais, enfrentadas pelas modernas Forças Aéreas.

Biposto

A versão biposto retém toda a capacidade operacional da versão monoposto. O Programa do Gripen NG conta com o apoio total do governo sueco.

Sistema de propulsão

Incorporando a mais avançada tecnologia, o motor General Electric F414G do Gripen NG é um turbojato modular, com pós-combustão, apresentando uma baixa razão de diluição e eficiência no consumo de combustível. Com uma taxa de empuxo superior a 22 mil lb (98 kN), o F414G gera 20% mais empuxo que o atual Volvo Aero RM12 do Gripen, viabilizando velocidade de super-cruise equivalente a Mach 1.1, com armas ar-ar.

Desenvolvimento do radar AESA ES 05 Raven

Integrando o único radar AESA de 2ª geração do mundo, o ES 05 Raven, o Gripen NG garante sua vantagem em termos de noção situacional.  O radar ES 05 Raven, desenvolvido pela Selex-Galileo com a Saab e a indústria brasileira, é o único radar de combate do mercado munido de uma placa oscilante (swash plate) móvel, permitindo cobrir ângulos de até ±100°. O novo radar traz melhorias em todos os aspectos quando comparado com os radares existentes, a exemplo de:

  • melhor rastreamento de alvo
  • amplo campo visual
  • flexibilidade de modos
  • maior alcance de detecção na casa dos 120 km
  • melhores dados eletrônicos de suporte
  • maior disponibilidade operacional e menores custos de ciclo de vida

Informações completas em: Grupo Saab

Outras informações: Gripen NG

Fontes: Defesanet Bokia Leeds

Amazon usará Drones (robôs autônomos) para fazer entregas até 2017

A Amazon está fazendo testes com drones – veículos aéreos inteligentes autônomos – para fazer entregas expressas de encomendas em até 30 minutos. A informação foi dada na noite deste domingo, 1/12, pelo CEO da empresa, Jeff Bezos, em entrevista ao jornalista Charlie Rose no programa “60 Minutes” da rede CBS.

“Eles são drones, mas não há nenhuma razão para que não sejam usados como veículos de entregas… Eu sei que parece ficção científica mas não é. Estamos a alguns anos de ter funcionando, mas teremos”, disse Bezos na entrevista.

O novo serviço de entregas foi batizado pela Amazon de “Prime Air”. Segundo Bezos, o consumidor poderá fazer certos pedidos solicitando a entrega expressa e terá o produto em casa em 30 minutos. A encomenda é colocada em uma caixa plástica acoplada ao “octóptero” (como está sendo chamado o drone) que levanta vôo direto para a casa do cliente, sem necessidade de operador humano.

Fonte: IDGNOW 

O Mundo do Amanhã (Documentário – BBC 2013)


Sinopse

Liz Bennin mergulha no mundo das invenções, revelando as pessoas e as tecnologias prontas para transformar todas as nossas vidas. Ela examina as condições que prometem tornar o século XXI uma era dourada de inovações, e encontra alguns dos mais proeminentes visionários, aventureiros e sonhadores do mundo.

Dos empresários que estão impulsionando uma nova corrida espacial, ao vencedor do prêmio Nobel, liderando uma revolução na nanotecnologia. Esse é um tour junto às pessoas e às ideias que estão nos trazendo, hoje, o mundo do amanhã!

Créditos: ReVCieN

Compartilhar sinal de internet e wireless não é mais crime no Brasil

Compartilhamento de WiFiO compartilhamento aberto de sinal de wireless e internet não figura mais como crime de pirataria no Brasil. A 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, com sede em Brasília, negou por unanimidade nesta sexta-feira (13) o recurso do Ministério Público Federal (MPF) que considerava crime o compartilhamento de sinal de internet. De acordo com a decisão, a retransmissão de dados não configura “atividade clandestina de telecomunicação”.

Segundo o TRT, o compartilhamento de sinal é um “serviço de valor adicionado” e não tem relação com o crime previsto no artigo 183 da lei nº 9.472/1997, que prevê detenção de dois a quatro anos, aumentada em 50% caso haja dano a terceiros, e multa de R$ 10 mil para quem desenvolver clandestinamente atividades de telecomunicação.

De acordo com o MPF, na aquisição de um serviço de provedor de internet estão previstos os serviços de valor adicionado e de valor de telecomunicações. Por considerar a transmissão de dados uma “atividade de telecomunicação”, quem compartilhar o sinal de internet deve ser condenado pela exploração clandestina da atividade, diz o recurso.

O relator do processo, juiz Carlos D’Avila Teixeira, contestou o argumento do MPF. “A conduta narrada parece ser irrelevante jurídico-penalmente. No caso dos autos, bastou a simples instalação de uma antena e de um roteador wireless para que fosse possível a efetiva transmissão de sinal de internet por meio de radiofrequência. Portanto, a conduta do réu resume-se à mera ampliação do serviço de internet banda larga regularmente contratado, o que não configura ilícito penal.”

WiFiSegundo Teixeira, também não foi constatada nenhuma interferência nos sinais de rádio que pudesse causar prejuízos ao provedor ou a usuários do serviço. “O preceito típico-incriminador citado pela denúncia consiste na transmissão, emissão ou recepção, por fio, radioeletricidade, meios óptico ou qualquer outro processo eletromagnético de símbolos, caracteres, sinais, escritos, imagens, sons ou informações de qualquer natureza. Rigorosamente, em face da disciplina legal, não me parece ser adequada à hipótese o compartilhamento de sinal de internet.”

Agora estamos livres para gerar sinais de wireless ou transmitir a internet sem burocracia, podemos instalar potentes antenas e sermos provedores regionais sem ter a preocupação de estar agindo conta a lei. Pois se a internet contratada chegar até a nossa antena privada, nós podemos retransmitir sem qualquer penalidade legal. Isso é mais uma vitoria da liberdade de compartilhar o nosso sinal, afinal já estamos pagando por ele.

Fonte: G1

Conheça os principais Gadgets que fizeram sucesso na IFA Berlin 2013

IFA Berlin 2013

A maior feira de eletrônicos da Europa IFA2013 realizada em Berlin Alemanha, que vai de 06 a 11/09/2013, mostrou uma série de novidades que estarão presentes na maioria dos mercados no decorrer do ano, confira os principais produtos que fizeram sucesso na feira! Resumo realizado pela equipa da PC World Brasil.

Na maioria das vezes a feira de tecnologia IFA, em Berlim, é tranquila. Claro que há sempre um ou dois smartphones sendo anunciados por lá para chegar às lojas antes da temporada de compras no fim do ano, mas não é nada comparado à enxurrada de produtos apresentados anualmente na CES, nos EUA, e na Computex, em Taiwan.

Mas este ano foi diferente. Vimos um monte de híbridos, notebooks, tablets, all-in-ones… e estamos falando só dos computadores. Veja a seguir alguns dos produtos que mais nos chamaram a atenção durante a IFA 2013.

Samsung Galaxy Gear

Quem disse que a Samsung não sabe inovar? O relógio inteligente Galaxy Gear, que custará US$ 300, é um dos mais sofisticados equipamentos em sua categoria, equipado com uma bela tela AMOLED de 1.6 polegadas, câmera de 1.2 MP, processador de 800 MHz, vários apps e a capacidade de fazer e receber chamadas, quando pareado com um Galaxy Note II, Galaxy Note 3, Galaxy S III, Galaxy S 4 e Galaxy Tab 10.1 Edição 2014.


Galaxy Gear

Mas o Gear não é perfeito, especialmente se você tem pulsos pequenos, já que é grandalhão. Para saber mais, confira o artigo com nossas primeiras impressões sobre ele.

Samsung Galaxy Note 3

O mais novo phablet da Samsung, equipado com uma imensa tela de 5.7 polegadas, foi lançado junto com o Galaxy Gear. Além de ser mais rápido, mais fino e mais leve que seu predecessor, ele traz muitas melhorias no software, que tornam a caneta mais útil e versátil. Também colocamos as mãos nele.


Galaxy Note 3

HP Envy Recline

Este não é um All-In-One típico. A HP projetou estas máquinas, equipadas com telas de 23 e 27 polegadas, de forma a colocar o centro de gravidade no meio da tela. Com isso você pode fazer vários truques legais, como puxar a tela até a borda da mesa, recliná-la em qualquer ângulo e tocar à vontade sem medo de que ela tombe no seu colo.


HP Envy Recline 27″

Isso por si só é bem legal, e o fato de que todos os modelos da linha HP Envy Recline usam processadores Haswell e GPUs Nvidia torna as coisas mais legais ainda.

Toshiba Satellite Encore

Durante meses o Acer Iconia W3 deteve a honra de ser o único tablet Windows com tela de 8 polegadas. Mas não mais: o Toshiba Satellite Encore não só roda o novo Windows 8.1 como também é o primeiro tablet Windows 8 baseado num processador Intel da família Bay Trail, projetado sob medida para uso em tablets. E a tela tem resolução de 1280 x 800 pixels. E se isso tudo não for o bastante, saiba que o Satellite Encore virá com uma versão completa do Microsoft Office 2013 Home & Student pré-instalada.


Toshiba Satellite Encore

Sony QX10 and QX100

Essas são criaturas estranhas, uma mistura da tecnologia de uma câmera tradicional com a idéia de lentes intercambiáveis encontradas em DSLRs. Elas têm todos os componentes (lente, sensor de imagem, memória e bateria) de uma câmera comum, mas se encaixam em seu smartphone, usando a tela como “visor” e a conexão de rede para compartilhar as imagens. Viu só? Não são só os computadores que estão se tornando híbridos.


Sony QX10, plugada a um Xperia Z1

Lenovo Yoga 2 Pro

A família IdeaPad Yoga, da Lenovo, tem o conceito híbrido mais legal que já vimos. Para deixá-lo melhor o Yoga 2 Pro é mais fino, mais leve e muito mais bonito que seu antecessor, e tem uma tela de 13 polegadas com a impressionante resolução de 3200 x 1800 pixels. Boa jogada, Lenovo!

IdeaPad Yoga 2 Pro

Lenovo ThinkPad Yoga

O IdeaPad Yoga é um produto voltado para os consumidores, e com isso algumas empresas podem hesitar em abraçar o conceito. A solução da Lenovo? Adicionar alguns recursos corporativos, aumentar a durabilidade, pintar a máquina de preto e chamá-la de ThinkPad Yoga. Outra boa jogada.

ThinkPad Yoga

3Doodler

Este produto é basicamente uma “impressora 3D de mão”. A caneta derrete um filamento plástico que, em contato com o ar, se solidifica rapidamente. À medida em que você move o aparelho pode desenhar formas em pleno ar. É possivel “rabiscar” até mesmo objetos complexos, como esta Torre Eiffel, apenas traçando sobre as linhas de um gabarito. Para crianças de todas as idades.

Um exemplo de modelo criado com a 3Doodler

Ricoh Theta

Longa e fina, esta câmera de 400 dólares captura uma imagem em 360 graus de seus arredores. É como ter sua própria versão de um carro do Google Street View no bolso. As imagens são legais, e ela é muito fácil de usar.


Ricoh Theta

Sony VAIO Flip

Os notebooks VAIO Flip tem uma dobradiça de borracha no meio da tela. Com isso ela pode ser colocada na posição tradicional, virada para o teclado, ou virada para fora, transformando a máquina em um tablet. É uma idéia similar à do IdeaPad Yoga, mas enquanto na máquina da Lenovo as teclas ficam expostas atrás da tela, neste VAIO elas ficam escondidas debaixo dela, o que é uma grande vantagem.


Sony VAIO Flip

Outra vantagem é a tela atraente: o modelo de 15 polegadas tem resolução de 2880 x 1620 pixels, enquanto os modelos de 13 e 14 polegadas tem telas Full HD.

Panasonic TC-L65WT600

A IFA tinha uma abundância de TVs 4K, embora o público ainda não esteja muito interessado em comprá-las. O modelo abaixo é a Smart Viera TX-L65WT600, um modelo de 65” que é a primeira tela Ultra HD da Panasonic. Ela é a primeira TV com entrada HDMI 2.0, que permite a transmissão de imagens em 4K a 60 quadros por segundo, e é capaz de reproduzir vídeos em 4K armazenados em um pendrive ou HD externo e também via streaming. Além disso pode ser controlada com um smartphone ou tablet, usando um app da Panasonic, e responde a comandos de voz.


Panasonic TC-L65WT600

Panasonic Toughpad 4K

É um tablet com tela de 20”. Com resolução de 3840 x 2560 pixels. Que custa US$ 6 mil. E tem autonomia de bateria de apenas duas horas. Pensando bem, o Panasonic Toughpad 4K UT-MB5 é um monumento aos excessos do mundo corporativo.


Panasonic Touchpad 4K

Asus Transformer Book Trio

É um notebook com Windows! É um desktop com Windows! É um tablet Android! É tudo isso junto!

A ASUS está levando os híbridos a um novo patamar colocando um processador Haswell, 4 GB de RAM e até 1 TB de espaço em disco na base, além de um processador Atom Z2760, 2 GB de RAM e 64 GB de memória flash na tela de 11.6 polegadas, que é destacável. A base tem um adaptador Wi-Fi no novo padrão 802.11ac, muito mais rápido que o atual 802.11n, que é usado na tela.

ASUS Transformer Book Trio

Asus Zenbook UX301

O Zenbook da ASUS tem sido um exemplo perfeito da nova geração da computação móvel desde os primeiros dias dos Ultrabooks, e os novos modelos apresentados na IFA parecem dispostos a manter a reputação. O Zenbook UX301 e UX302 tem telas protegidas por Gorilla Glass 3, processadores Intel Core de 4ª Geração (família Haswell), teclados iluminados e interfaces Wi-Fi já compatíveis com o novo padrão 802.11ac.

ASUS Zenbook UX301

O Zenbook UX301 é o mais atraente dos dois, com uma tela com resolução de 2560 x 1440 pixels e 512 GB de espaço em disco, composto por duas unidades de 256 GB em um array RAID 0 rápido como um raio.

Roteador Belkin Linksys EA6900

O roteador Belkin Linksys EA6900/Smart Wi-Fi AC1900 é notável por vários motivos, e o nome ridiculamente longo não é um deles. O primeiro é que ele é o primeiro produto da Linksys desde que a marca foi adquirida pela Belkin, e o segundo é que ele suporta o novo padrão Wi-Fi 802.11ac, o mesmo que a ASUS e muitos outros fabricantes estão começando a incluir em suas máquinas.

Belkin Linksys EA6900

Isso significa que com este roteador, e máquinas compatíveis, teoricamente é possível transferir dados a até 1.3 Gigabits por segundo, mais de quatro vezes mais rápido que as redes 802.11n atuais, que atingem no máximo 300 Mbits por segundo.

Fonte: PC World

Noite na Namíbia – Marsel van Oosten

Não é fácil chegar com algo novo, quando você visitar o mesmo lugar todos os anos por mais de uma década. Ao longo dos anos Marsel criou o mais extenso e mais popular portfólio de fotografia noturna da Namíbia, e há dois anos ele decidiu que era hora de levá-lo ao próximo nível.

A ideia era criar uma fotografia noturna, vídeo timelapse (câmera lenta), com seus temas mais populares neste país incrível: as árvores contos de fadas, e árvores mortas, algo que nunca havia sido feito antes. Mas em vez de ir para cenas estáticas, Marsel decidiu acrescentar movimento às cenas usando um sistema de Dolly (trilhos).

Todas as cenas foram filmadas durante a noite com as Nikon D3, D3s e câmeras D4. Nós usamos pequenos faróis para iluminar seletivamente árvores e rochas, e também a luz da lua. Quanto mais brilhante a cena, mais lua havia na época. Para a cena do arco programamos os disparos exatamente com lua, que envolveu um pouco de cálculo e planejamento. Mas o mais difícil de tudo foi, provavelmente, a cena de névoa em Deadvlei. Névoa em Deadvlei só ocorre em torno de cinco vezes por ano, por isso tivemos que manter um olhar atento sobre as previsões meteorológicas e muitas tentativas foram infrutíferas. Quando finalmente entendi direito, os resultados excederam as nossas expectativas e mostraram Deadvlei como ninguém nunca viu antes.

Cada segundo de vídeo é composto por 30 fotografias. No total, Marsel disparou mais de 16 mil imagens ao longo de um período de dois anos para este projeto.

O vídeo ganhou o prêmio fotográfico Viagens em 2012.

Créditos

Diretor: Marsel van Oosten

Editora: Daniella Sibbing

Compositor: Simon Wilkinson

Produzido por: Squiver

Equipamentos utilizados:

Câmeras: Nikon D3, D3s and D4

Lentes: Nikon 14-24/2.8 and 24-70/2.8

Tripé: Gitzo

Dolly (trilho para câmera): Estágio zero, percepção dinâmica

twitter: twitter.com/Squiver

facebook: Marselvanoostenphotography

Como funciona o processamento de dados do LHC?



Computando os dados do LHC

Com 15 petabytes de dados (o que equivale a 15 milhões de gigabyes) recolhidos pelos detectores do LHC a cada ano, os cientistas têm uma imensa tarefa diante deles. Como processar todas essas informações? Como determinar se você está estudando algo de significativo em meio a um conjunto de dados tão grande? Mesmo com o uso de um supercomputador, processar tanta informação pode demorar milhares de horas. Enquanto isso, o LHC continuaria a acumular ainda mais dados.

A solução do CERN é a GRID (grade em português) de Computação do LHC. A grade é uma rede de computadores, cada um dos quais capaz de analisar por conta própria uma porção dos dados. Assim que um computador conclui sua análise, pode enviar as conclusões a um computador central e aceitar nova porção de dados brutos. Enquanto os cientistas puderem dividir os dados em porções, o sistema funciona bem. No setor de computação, essa abordagem recebe o nome de computação em grade (GRID em inglês).

Os cientistas do CERN decidiram se concentrar no uso de equipamento de custo relativamente baixo para executar seus cálculos. Em vez de adquirir servidores e processadores de ponta a altos preços, o CERN se concentra em equipamento padronizado e bem adaptado a funcionar em rede. A abordagem é bastante semelhante à adotada pelo Google. O custo/benefício da compra de muito equipamento de qualidade média é melhor do que o de investir em poucos equipamentos avançados.

Usando um tipo especial de software chamado Middleware (mediador), a rede de computadores poderá armazenar e analisar dados para todas as experiências conduzidas no LHC. A estrutura do sistema é organizada em camadas.

  • A camada 0 é o sistema de computação do CERN, que processa as informações inicialmente e as divide em porções para as demais camadas.

  • Há 12 locais da camada 1 localizados em diversos países que aceitarão dados do CERN por meio de conexões dedicadas de computação. Essas conexões terão capacidade de transmissão da ordem de 10 gigabytes por segundo. Os sites da camada 1 processarão ainda mais os dados e os dividirão para despachá-los aos degraus inferiores da escala.

  • Mais de 100 locais da camada 2 estão conectados aos locais da camada 1. A maioria deles envolve universidades ou instituições científicas. Cada local terá múltiplos computadores disponíveis para processar e analisar dados. À medida que cada trabalho de processamento for concluído, os locais devolverão dados processados sistema acima. A conexão entre os locais da camada 1 e da camada 2 é uma conexão convencional de rede.

Qualquer local da camada 2 terá acesso a qualquer lugar da camada 1. O motivo é permitir que universidades e instituições de pesquisa se concentrem em informações e pesquisas específicas.

Um desafio, tendo em vista o tamanho da rede, é a segurança de dados. O CERN determinou que a rede não poderia depender de firewalls (barreiras) devido ao volume de tráfico de dados no sistema. Em vez disso, o sistema depende de procedimentos de identificação e autorização a fim de impedir acesso não autorizado a dados do LHC.

Veja onde os locais da camada 1 estão localizados

  • Canadá
  • França
  • Alemanha
  • Itália
  • Escandinávia
  • Espanha
  • Suíça
  • Taiwan
  • Holanda
  • Reino Unido
  • Estados Unidos

Fonte: HSW

Um estudo da Cisco afirma que o Brasil terá 52% de pessoas conectadas à internet até 2017

O tráfego IP global deve triplicar de 2012 a 2017

CISCOO Cisco® Visual Networking Index (VNI), divulgado mundialmente hoje, prevê que o tráfego global do protocolo de Internet (IP) triplicará entre 2012 e 2017. O tráfego IP global (fixo e móvel) deverá atingir uma taxa anual de 1,4 zettabytes – mais de um trilhão de gigabytes por ano – até 2017, chegando a aproximadamente 121 exabytes por mês até 2017, contra cerca de 44 exabytes por mês em 2012 (121 exabytes equivalem a 30 bilhões de DVDs, ou 28 trilhões de MP3; ou 750 quatrilhões de mensagens de texto).

O estudo atualizado inclui o crescimento do tráfego IP fixo global e as tendências de adoção de serviços, complementando o VNI Global Mobile Data Traffic Forecast lançado no início deste ano.

Impulsionadores do tráfego IP global

Mais usuários de Internet

  • Em 2017 haverá cerca de 3,6 bilhões de usuários de Internet – mais de 48% da projeção demográfica mundial (7,6 bilhões).

  • Em 2012 havia 2,3 bilhões de usuários de internet – cerca de 32% da população mundial (7,2 bilhões).

Mais Dispositivos/Conexões

  • Em 2017, haverá mais de 19 bilhões de conexões de rede (dispositivos fixos, móveis, conexões M2M, etc.), em comparação com os 12 bilhões registrados em 2012.

Banda Larga Fixa Mais Rápida

  • Espera-se que a média global de velocidade de banda larga fixa aumente cerca de 3,5 vezes entre 2012 e 2017, passando de 11,3 Mbps para 39 Mbps.

  • A média global de velocidade de banda larga fixa aumentou 30% de 2011 a 2012, de 8,7 Mbps para 11,3 Mbps.

Aumento no uso global de serviços/aplicações de vídeo

  • Usuários globais da rede irão gerar 3 trilhões de minutos de vídeo de Internet por mês, ou seja, 6 milhões de anos de vídeo por mês, ou 1,2 milhão de minutos de vídeo a cada segundo, o que equivale a dois anos de vídeo por segundo.

  • Até 2017, haverá quase 2 bilhões de usuários de vídeo pela Internet no mundo (excluindo aqueles exclusivamente móveis), comparado a 1 bilhão de usuários de vídeo da Internet em 2012.

Em 2012, 26% do tráfego da Internet teve origem nos dispositivos não-PC, mas até 2017 a participação dos dispositivos não-PC crescerá para 49%. O tráfego originado nos PCs crescerá numa taxa composta anual de 14%, enquanto outros dispositivos/conexões terão taxas de crescimento de tráfego maiores ao longo do período de previsão ― TVs (24%), tablets (104%), smartphones (79%) e módulos máquina a máquina (M2M) (82%).

À medida que provedores de serviços globais desenvolvam a Internet de última geração, quase metade da população mundial terá acesso à rede e à Internet até 2017. Na média o acesso à internet a partir de uma residência gerará globalmente 74,5 gigabytes por mês. Em comparação, em 2012, o acesso residencial gerou 31,6 gigabytes de tráfego por mês.

O prognóstico da Cisco também revelou que a “Internet das Coisas” (a conexão em rede de objetos físicos) está mostrando um crescimento tangível e terá um impacto mensurável sobre as redes IP mundiais. Globalmente, o número de conexões M2M triplicará, passando de 2 bilhões em 2012 para 6 bilhões até 2017. O tráfego IP global anual de M2M crescerá 20 vezes nesse mesmo período — de 197 petabytes em 2012 (0,5% do tráfego IP global) para 3,9 exabytes até 2017 (3% do tráfego IP global). Aplicações como vídeo vigilância, medidores inteligentes, rastreadores de ativos, animais de estimação/rebanhos com chips, monitores digitais de saúde e uma série de outros serviços M2M de última geração estão impulsionando esse crescimento.

Resumo das Principais Conclusões do Cisco VNI

Projeções e Análises do Tráfego IP Global

  • Até 2017 o tráfego IP global anual atingirá 1,4 zettabytes (taxa composta de crescimento anual de 23% entre 2012 e 2017). – Um zettabyte equivale a um sextilhão de bytes.

  • Até 2017 mais tráfego terá percorrido as redes globais do que em todos os anos de Internet somados até hoje:

o 1984-2012: 1,2 zettabytes

o Previsão 2017: 1,4 zettabytes

  • O tráfego no “horário de pico” da Internet (ou horas do dia em que o tráfego é mais intenso), aumenta mais rapidamente do que a média do tráfego de Internet. O tráfego nos horários de pico da Internet aumentou 41% em 2012, em comparação ao crescimento de 34% no tráfego médio.

  • O tráfego metropolitano superará o tráfego de longa distância em 2014 e representará 58% do tráfego IP total até 2017. O tráfego metropolitano crescerá quase duas vezes mais rápido que o tráfego de longa distância entre 2012 e 2017.

  • Redes de Entrega de Conteúdo (Content delivery networks – CDNs) carregarão mais da metade do tráfego total da Internet até 2017.

  • Dispositivos Wi-Fi e móveis conectados gerarão 68% do tráfego da Internet até 2017.

  • Quase a metade do tráfego IP total terá origem em dispositivos não-PC (incluindo tablets, smartphones e televisores) até 2017.

Tendências de Destaque na rede IP

  • O tráfego fixo/Wi-Fi crescerá a uma taxa anual composta de 26% entre 2012 e 2017, comparado a uma taxa anual composta de 16% para o tráfego fixo/cabeado.

  • Globalmente, uma residência média tinha 4,7 dispositivos / conexões (incluindo M2M) em 2012; uma residência média terá 7,1 dispositivos / conexões (incluindo M2M) até 2017 (taxa anual composta de crescimento de 8,8%).

  • Em nível global haverá 8 bilhões de dispositivos/conexões fixos e móveis e compatíveis com IPv6 em 2017, comparados a 1,6 bilhões em 2012 (taxa composta de crescimento anual de 38%).

  • Globalmente, 42% de todos os dispositivos/conexões fixos e móveis em rede serão compatíveis com o IPv6 em 2017, comparados aos 14% em 2012.

Projeções de Tráfego IP em Nível Regional e de País

  • A região Ásia Pacífico gerará o maior tráfego IP até 2017 (43,4 exabytes/mês), mantendo sua liderança desde o ano passado.

  • O Oriente Médio e a África continuarão a ser as regiões de tráfego IP de maior crescimento entre 2012 e 2017 (um crescimento de 5 vezes, com taxa composta de crescimento anual de 38% ao longo do período de previsão); A região Oriente Médio/África também teve crescimento mais rápido no ano passado (crescimento de 10 vezes, com taxa composta de crescimento anual de 57% para o período de previsão entre 2011 e 2016) nessa categoria.

  • Até 2017, os países com maior geração de tráfego serão os Estados Unidos (37 exabytes por mês) e China (18 exabytes por mês).

  • Sobre o crescimento do tráfego IP por países, a Índia terá a maior taxa de crescimento, com taxa composta de crescimento anual de 44% entre 2012 e 2017. A segunda é a Indonésia (taxa composta de crescimento anual de 42%) e a terceira é a África do Sul (taxa composta de crescimento anual de 31%) ao longo do período de previsão.

Composição Regional do Crescimento no Tráfego IP

  • Ásia Pacífico: 43,4 exabytes/mês até 2017, taxa composta de crescimento anual de 26%, crescimento de 3 vezes.

  • América do Norte: 40,7 exabytes/mês até 2017, taxa composta de crescimento anual de 26% , crescimento de 3 vezes.

  • Europa Ocidental: 24,3 exabytes/mês até 2017, taxa composta de crescimento anual de 17%, crescimento de 2 vezes.

  • Europa Central: 8,8 exabytes/mês até 2017, taxa composta de crescimento anual de 21%, crescimento de 3 vezes.

  • América Latina: 7,4 exabytes/mês até 2017, taxa composta de crescimento anual de 17%, crescimento de 2 vezes.

  • Oriente Médio e África: 3,5 exabytes/mês até 2017, taxa composta de crescimento anual de 38%, crescimento de 5 vezes.

Principais Previsões para Consumidores e Negócios

Consumo Global de Vídeo de Internet do Consumidor

  • Globalmente haverá quase 2 bilhões de usuários de vídeo pela Internet (excluindo aqueles exclusivamente móveis) até 2017, em comparação a 1 bilhão de usuários de vídeo de Internet em 2012.

  • O tráfego de vídeo de Internet para TV aumentará quase 5 vezes entre 2012 (1,3 exabytes por mês) e 2017 (6,5 exabytes por mês).

Tráfego de Vídeo de Internet HD e 3D

  • Até 2017, vídeos de internet 3D e HD totalizarão 63% do tráfego de vídeo na internet destinado a consumidores (não corporativo).

  • Os vídeos avançados de internet (3D e HD) aos consumidores aumentarão 4 vezes entre 2012 e 2017.

Tráfego Global de VoD do Consumidor

  • O tráfego VoD aumentará 3 vezes entre 2012 e 2017.

Tráfego Global de Compartilhamento de Arquivos de Internet do Consumidor

  • O tráfego peer-to-peer (P2P) diminuirá numa taxa anual composta de -9%, enquanto o tráfego de compartilhamento de arquivos baseado na web crescerá numa taxa anual composta de 17% de 2012 a 2017.

  • Até 2017, o tráfego global P2P representará 65% do tráfego global de compartilhamento de arquivos pela internet, em comparação a 85% em 2012.

Tráfego IP Corporativo Global

  • O tráfego IP corporativo global, que inclui Internet, backup, VoIP, etc, quase triplicará entre 2012 e 2017.

  • Em 2012, o tráfego IP corporativo representava 20% do tráfego IP global total mensal (o tráfego IP de consumidor representou 80% do tráfego IP global total mensal).

  • Até 2017, o tráfego IP corporativo representará 18% do tráfego IP global total mensal (o tráfego IP de consumidores representará 82% do tráfego IP global total mensal).

Tráfego Global de Vídeo de Internet de Negócios

  • O tráfego de vídeo de internet de negócios aumentará 5,3 vezes entre 2012 e 2017

  • O tráfego de vídeo de internet de negócios cresceu 52% em 2012.

  • Os vídeos representarão 58% de todo o tráfego de internet de negócios em 2017, comparado a 31% em 2012.

Destaques do VNI Service Adoption

Está disponível hoje também o estudo complementar da Cisco – o Cisco VNI Service Adoption Forecast, que inclui taxas de crescimento globais e regionais de serviços de negócios, consumidores móveis e residenciais.

Destaque

  • Globalmente, a população era de 7,160 bilhões em 2012 e chegará a 7,563 bilhões até 2017 (taxa composta de crescimento anual de 1,1%).

  • Globalmente havia 1,996 bilhões de domicílios em 2012; haverá 2,167 bilhões de domicílios até 2017 (taxa composta de crescimento anual de 1,7%).

Residencial

  • No mundo todo havia 1,832 bilhões de internautas com acesso à Internet fixa em 2012; o índice prevê 2,459 bilhões de internautas residenciais com acesso à Internet fixa em 2017 (taxa composta de crescimento anual de 6,1%).

  • No mundo todo havia 1,598 bilhões de TVs em 2012; haverá 1,744 bilhões de TVs em 2017 (taxa composta de crescimento anual de 1.8%).

Consumidor móvel

  • Globalmente, havia 3,789 bilhões de consumidores móveis em 2012; estima-se que em 2017, consumidores móveis serão 4,635 bilhões (taxa composta de crescimento anual de 4,1%).

Corporativo

  • Globalmente, havia 1,408 bilhões de usuários corporativos de Internet em 2012; estima-se que haverá 1,965 bilhões de usuários corporativos de Internet em 2017 (6,9% CAGR).

  • Globalmente, havia 495 milhões de usuários corporativos de telefones móveis em 2012; estima-se que haverá 565 milhões de usuários corporativos de telefone móveis em 2017 (taxa composta de crescimento anual de 2,7%)

Principais destaques do tráfego de dados no Brasil

Tráfego IP

  • No Brasil, o tráfego IP crescerá aproximademente 2 vezes entre 2012 e 2017, com uma taxa de crescimento anual composta de 17%.

  • O tráfego IP atingirá 3.3 Exabytes por mês em 2017, frente ao 1.5 Exabytes por mês em 2012.

  • O tráfego IP em 2017 será o equivalente a 10 bilhões de DVDs por ano, 822 milhões de DVD´s por mês ou um milhão de DVD´s por hora.

  • Em 2017, o gigabite equivalente a todos os filmes feitos até agora vão cruzar a rede IP do país a cada duas horas.

Tráfego via Internet

  • Mais da metade da população brasileira (52%) terá acesso à Internet em 2017.

  • Serão 110 milhões de usuários de internet em 2017 no país, frente aos 67 milhões em 2012.

  • O tráfego na Internet crescerá 2,2 vezes entre 2012 e 2017, com uma taxa de crescimento anual de 17%.

  • O tráfego na internet atingirá 3 exabytes por mês em 2017. Em 2012 eram 1.4 Exabytes por mês.

  • O tráfego na internet em 2017 será o equivalente a 9 bilhões de DVD´s por ano, 746 milhões de DVDs por mês e 1 milhão de DVD´s por hora.

  • O volume do tráfego da internet no país em 2017 será o equivalente a 297 vezes o volume de todo a internet brasileira de 2005.

  • O tráfego médio da internet em 2017 atingirá 9 Tbps, o equivalente a 7.570.000 pessoas transmitindo vídeo em alta definição simultaneamente.

  • O tráfego na internet em períodos de pico em 2017 atingirá 28 Tbps, o equivalente a 23.510.000 pessoas transmitindo vídeo em alta definição simultaneamente.

Internet Vídeo

  • O tráfego de vídeo pela Internet no País crescerá 3 vezes entre 2012 e 2017, com uma taxa de crescimento anual de 24%.

  • O tráfego de vídeo pela Internet (incluindo consumidores e de negócios) no Brasil será o equivalente a 77% de todo o tráfego da Internet em 2017, frente da média de 57% de 2012.

  • Serão 110 bilhões de minutos de conteúdo de vídeo atravessando a internet por mês em 2017. Em 2012 eram 50 bilhões de minutos.

  • O tráfego de vídeos via Internet para TV será o equivalente a 6% do tráfego de vídeos dos consumidores via Internet fixa em 2017 no Brasil. Em 2012 era equivalente a 1%. O tráfego de vídeos via Internet para a TV aumentará 13 vezes entre 2012 e 2017.

Dispositivos

  • No Brasil haverá 611 milhões de dispositivos em rede em 2017, um aumento em relação aos 412 milhões em 2012.

  • Serão 2,9 dispositivos em rede por habitante em 2017, um aumento em relação à taxa de 2 por pessoa em 2012.

  • Os PC´s representaram 95% do tráfego IP no Brasil em 2012 e serão 80% do tráfego IP em 2017. Já os dispositivos portáteis, como smartphones e tablets representaram 1% do tráfego IP em 2012, com projeção de aumento para 10% em 2017.

Evolução da velocidade da banda larga

  • A velocidade média da banda larga no Brasil aumentará 2,5 vezes entre 2012 e 2017, passando de 5,5 Mbps para 14 Mbps. As velocidade das conexões móveis crescerá 7 vezes até 2017, atingindo uma velocidade média de 1.7 Mbps.

  • 58% das conexões de banda larga serão mais rápidas do que 5 Mbps em 2017, um aumento em relação aos 42% de hoje, e 31% das conexões de banda larga serão mais velozes do que 10 Mbps em 2.

Conexões de rede

  • O tráfego de conexões fixas Wi-Fi vai crescer três vezes entre 2012 e 2017, alcançando 1.7 Exabytes por mês em 2017 no Brasil.

Declaração de apoio

Doug Webster, vice-presidente de marketing de produtos e soluções da Cisco

Recursos e Ferramentas On-line Cisco VNI Forecast

  • Para acessar dados regionais e por país, incluindo mais detalhes do Brasil: Cisco VNI Forecast Highlights Tool

  • Resultados detalhados e completos do estudo: Cisco VNI Forecast and Methodology, 2012 – 2017 White Paper

  • Visualização personalizada do crescimento de vários tipos de tráfego de rede no mundo todo (revisto para o período de previsão 2012-2017): Cisco VNI Forecast widget

  • O Cisco VNI Service Adoption Forecast White Paper oferece uma visão única das tendências mundiais e regionais de serviços e aplicativos de última geração de usuários finais de negócios, consumidores móveis e residenciais, mercados prioritários e dispositivos e conexões relevantes.

  • A ferramenta Cisco VNI Service Adoption Forecast Highlights Tool fornece conclusões globais e regionais sobre usuários e assinantes, dispositivos e conexão, e taxas de penetração de adoção dos serviços.

  • As ferramentas Mobile Service Provider Abstract Network (M-SPAN) e Cable/Telco Service Provider Abstract Network (CT-SPAN) da Cisco permitem que operadores de rede gerem suas próprias previsões com base na metodologia e premissas VNI.

  • O aplicativo móvel Cisco VNI Forecast permite que usuários de smartphones iPhone e Android visualizem e selecionem destaques de previsão global, regional e em nível de país a partir de seus dispositivos.

  • O aplicativo móvel Cisco Data Meter (Medidor de Dados) permite que usuários de smartphones e tablets iOS e Android monitorem facilmente seu uso de dados de celular e wi-fi, testem o desempenho de sua conexão de rede e muito mais.

Sobre a Cisco Systems

A Cisco (NASDAQ: CSCO) é líder mundial em Tecnologia da Informação, que ajuda empresas a aproveitarem as oportunidades do amanhã, demonstrando que coisas supreendentes acontecem quando se conecta o que antes estava desconectado.

Créditos: SEGS