Segundo o Ibope apenas 10% dos brasileiros possuem um smartphone

Android-Ios
Smartphones Apple e Google Android - os mais utilizados na atualidade.

Pesquisa também revela que 32% dos consumidores mundiais têm a intenção de comprar um smartphone em 2012 e 24% devem escolher um celular comum.

Segundo pesquisa do Ibope Inteligência, em parceria com a Worldwide Independent Network of Market Research (WIN), no último ano a posse de smartphones quase dobrou, passando de 19% em 2010 para 35% em 2011. Já os celulares não considerados smartphones apresentaram uma pequena queda. Em 2011, cerca de 80% da população mundial possuía esse aparelho, contra 86% em 2010. No Brasil, apenas 10% dos que possuem celular têm um modelo “inteligente”.

Outra descoberta é que 32% dos consumidores mundiais têm a intenção de comprar um smartphone em 2012, enquanto 24% pretendem comprar um celular comum.

A Apple, com 38% das intenções de compra, tem mais do que o dobro da preferência da segunda colocada, a Samsung, com 15%. Também foram citadas Nokia (8%), RIM/Blackberry (7%), HTC (6%) e LG (3%).

O estudo ouviu 40 557 pessoas em 44 países. No Brasil, foram 2 mil entrevistas, com homens e mulheres de 16 anos ou mais, de todas as classes.

Fonte:IdgNowUol

Estudo confirma que a capacidade do cérebro diminui a partir dos 45 anos

Ilustração de corte transversal do cérebro e outras informações

Estudos recentes concluem que a capacidade cognitiva do cérebro humano começa a registrar perda a partir dos 45 anos, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (Inserm) francês e da University College de Londres. O resultado contraria a medicina que defende que a redução da capacidade cerebral seria a partir dos 60 anos.

O estudo foi feito com 5198 homens e 2192 mulheres de 45 a 70 anos, bem como foi baseado em 10 anos de acompanhamento médico e em exames individuais. A pesquisa mostrou que o raciocínio dos homens de 45 a 49 anos teve queda no rendimento de 3,6% e nos com idade de 65 a 70 anos foi de 9,6%. Já as mulheres a primeira faixa etária teve o mesmo índice do grupo masculino e nas com 65 a 70 anos foi de 7,4%.

De acordo com o Inserm, é importante determinar o início da queda da capacidade do cérebro para ajudar a pesquisa sobre medicamentos que possam diminuir o envelhecimento cognitivo.

Fonte:G1