Arquivo da categoria: Tablets

Estamos vivendo numa era de inovação digital disruptiva

disruption-technologiesTecnologia disruptiva ou inovação disruptiva é um termo descrevendo a inovação tecnológica que utiliza uma estratégia “disruptiva” – para derrubar uma tecnologia ou prática existente e dominante no contexto onde estas se encontram. Disrupção é uma ruptura que surge como uma onda e cresce ao ponto de afetar dramaticamente qualquer produto ou serviço que poderá ser superado ou substituído por essa tendência.

A internet é o ambiente cuja inovação disruptiva tem sua origem

Com o aumento da velocidade dos links (conexões) de dados que chegam aos dispositivos conectados: sejam TVs digitais, Smartphones, Tablets, relógios inteligentes e aparelhos com internet embutida – os chamados IOTs (Internet of things – internet das coisas). As práticas (usos), os produtos e os serviços ofertados podem ser explorados livremente e independente de qualquer controle que antes era imposto por governos ou empresas que já atuavam nesse meio.

Exemplos de tecnologias disruptivas

Serviços

Buscador Google: busca com eficiência as informações submetidas.

Blogs: sistemas em formato de sites que possibilitam a publicação ou divulgação de informações; são gratuitos e já superam os principais sistemas de jornalismo e revistas digitais.

Redes Sociais: Facebook, Google+, Flicker, Instagran, Pinterest, etc.

Netflix: domina o streaming (fluxo contínuo de vídeo), oferece um serviço cujo preço é esmagador perto de outros canais digitais equivalentes como as TVs a cabo. No Brasil o preço da assinatura custa hoje R$ 19,90 mensal.

WhatsApp: chat em tempo real para tablets e smartphones.

Uber: é um produto e ao mesmo tempo um serviço de carona (acessado por meio de um aplicativo), cujos usuários chamam um carro particular para leva-los onde desejarem, tendo qualidade e em algumas praças, oferecem preços mais baixos do que os de taxis comuns encontrados nas principais cidades.

AirBnb: serviço de aluguel de hotéis que negocia o hotel ou pousada diretamente com o usuário por meio de um aplicativo.

Spotify: aplicativo que oferece milhões de músicas gratuitas, com a possibilidade de fazer coletâneas e compartilhar livremente nas redes sociais.

Wikipédia: um projeto de enciclopédia coletiva universal e multilíngue estabelecido na Internet sob o princípio wiki. A Wikipédia tem como objetivo fornecer um conteúdo reutilizável livre, objetivo e verificável​​, que todos possam editar e melhorar.

Ebooks: livros digitais que poder ser baixados livremente, tendo opções gratuitas e pagas.

Coursera: cursos gratuitos online para formação profissional e universitária, utilizam o método Curso Online Aberto e Massivo, do inglês Massive Open Online Course (MOOC), é um tipo de curso aberto ofertado por meio de ambientes virtuais de aprendizagem, ferramentas da Web 2.0 ou redes sociais que visam oferecer para um grande número de alunos a oportunidade de ampliar seus conhecimentos num processo de co-produção.

Produtos

Tesla Motors: carros elétricos e baterias residenciais ligadas a painéis solares.

Google e seus robôs e carros autônomos.

Apple com uma enorme variedade de produtos agregados.

Drones civis e militares que executam as mais diversas funções. Ex: robôs autônomos da Amazon para movimentar produtos em seus armazéns.

Intel e a IoT (Internet of Things – internet das coisas). Pretende conectar todo tipo de objetos como: óculos, copos, cafeteiras, camisetas, etc., na internet.

As tecnologias disruptivas vieram para ficar e os maiores beneficiários são os usuários que têm à sua disposição incontáveis opções de escolha com toda a liberdade que somente a internet pode oferecer.

Alguns exemplos de produtos que estarão em uso até 2020.

Amazon warehouse robots (Robôs no armazém da Amazon)

Humanoid Robots in Action (Robôs humanoides em ação) DARPA

Carros autônomos do Google

Korea Humanoid Robot (Robô humanoide da Coreia)

Fonte: TI Especialistas

Fonte: Wikipedia 

Fonte: Tec Hoje 

Samsung Galaxy Note 2 é lançado

Samsung Galaxy Note 2 com a canela S Pen (Divulgação).

Nesta quarta-feira (29) a Samsung maior fabricante de Celulares, apresentou o Galaxy Note 2 – em um evento paralelo ao IFA (maior feira européia de tecnologia) em Berlim -, um híbrido de smartphone e tablet. O aparelho tem uma tela de 5,5 polegadas no formato 16:9, processador quad-core (quatro núcleos) de 1,6 GHz, 2 GB de memória RAM e já vem de fábrica com o sistema operacional Android Jelly Bean do Google.

Com dimensões de 0,93 cm de espessura, caneta S Pen, pesando 180 gramas, diversas cores, câmera de 8 mega pixels e bateria de 3100 mAh + 3G e Wireless N; promete ser um aparelho bem avançado e pronto para conquistar o disputado mercado de aparelhos inteligentes. Estará à venda no Brasil em outubro nas principais lojas e distribuidores de tecnologia.

Fonte: Samsung

Tablets com o novo Windows 8 provavelmente só em 2013

Tablets com windows 8 provavelmente serão lançados só em 2013

Atualmente, os tablets são a categoria tecnológica de ponta, com o Kindle Fire, da Amazon, e o iPad 2, da Apple, dominando as vendas de final de ano. E agora, uma notícia vinda da Ásia sugere que a Microsoft pode não entrar no mercado por pelo menos um ano.

A companhia está desenvolvendo uma versão do Windows 8 para ser executada em chips com base ARM, que devido a seu baixo consumo de energia e ótimo desempenho, se tornou o processador dos fabricantes de tablets. Mas o Windows 8 para o ARM pode estar a 18 meses de distância, segundo a DigiTimes, uma publicação de Taipei que analisa os componentes de tablets fabricados por empresas com base em Taiwan.

De acordo a publicação a plataforma em ARM “é esperada para o final de 2012”, mas não será distribuída até junho de 2013.

Se esse for o caso, a empresa ficará muito atrás de seus rivais como a Apple, Amazon e Google para conseguir uma boa parcela do mercado.

Segundo o pesquisador J.P. Gownder, da Forrester, os consumidores já estão cansados de esperar pelo tablet Windows.

O relatório aponta que no primeiro trimestre desse ano, 46% dos consumidores dos Estados Unidos preferiam um tablet com base no Windows. Esse número caiu para apenas 25% no terceiro trimestre, que foi o mesmo período no qual a Amazon lançou seu Kindle Fire.

Gownder observou que os rivais da plataforma – iPad e dispositivos Android do Google – podem estar em sua terceira geração quando o tablet Windows 8 surgir.

“Nesse meio tempo, os novos competidores como a Amazon (Kindle Fire) e a Barnes & Noble (Nook Tablet) estão remodelando as expectativas do consumidor no mercado, baixando os preços e redefinindo o que é um tablet”.

Alguns fabricantes de computadores estão oferecendo tablets com o Windows 7, mas os críticos não levam em conta tais dispositivos pelo preço exorbitante. A HP, por exemplo, no começo do mês lançou o Slate 2 Tablet PC. Com 680 gramas e custando US$ 699, o dispositivo não é competitivo com aparelhos como o Kindle Fire de US$ 199 e até mesmo o iPad, cujo preço inicial é de US$ 499.

A HP alegou ter como alvo os usuários corporativos que precisam de acesso a todos os apps de produtividade do Windows. Para os tablets voltados ao consumidor, a Microsoft “precisa aprender com a estratégia de produtos da Amazon”, e produzir um dispositivo que seja um portal para mídia e serviços online, afirmou Gownder.

A Microsoft ainda não anunciou um data de lançamento para o Windows 8.

Tradução: Alba Milena, especial para o IT Web | Revisão: Thaís Sabatini

Fonte:IT Web

HP encerra linha de Tablets com sistema WebOS da Palm

HP TouchPad com WebOS - Descanse em paz

Esta semana a HP anunciou que não produzirá mais equipamentos com o sistema operacional WebOS (antigo sistema da Palm). Também retirou do mercado o Tablet TouchPad. A Palm e seu sistema operacional foram adquiridos no ano passo por US$ 1.2 Bilhão.

Nos anos 90 a Palm revolucionou o mercado ao inventar o computador de mão chamado “Palm Top”, mas não foi capaz de combinar um sistema inteligente à evolução exigida pela computação móveis, representada pelos telefones inteligentes (Smarthphones).

Muitas empresas de tecnologia demoraram em lançar produtos direcionados a um mercado que cresce sem parar, como é o caso do mercado dos Tablets. A HP não foi capaz de acompanhar esse crescimento, e mesmo tendo lançado no início de 2011 o seu Tablet TouchPad, não conseguiu boas vendas; de um estoque de 200 mil TouchPads encomendados pela rede americana Best Buy, somente 10% desse total foi comercializado.

Fonte:http://www.istoedinheiro.com.br