Arquivo da categoria: Nasa

Deixar o planeta terra (estrela de nêutrons) – Documentário Natgeo 2015

Caso fosse detectado um objeto astronômico em rota de colisão com a terra do porte de uma estrela de nêutrons, toda a vida no planeta desapareceria no espaço de um ano (incluindo nosso próprio planeta que seria despedaçado), quando da chegada desse objeto. As boas notícias? Caso sua trajetória tornasse possível a chegada em 75 anos, o que podemos fazer nesse espaço de tempo? Quem pode ser salvo? Ao contrário de muitas questões científicas especulativas, esta é uma possibilidade verdadeiramente real e que a nossa espécie (homo sapiens) pode vir a enfrentar num futuro a curto ou médio prazo. Poderia haver uma série de razões pelas quais tivéssemos que deixar o planeta Terra, mas a NASA acredita que a mais provável seria a colisão de um grande asteroide.

Uma estrela de nêutrons tem um pequeno diâmetro da ordem de 20 Km, para os padrões astronômicos é quase nada, mas possuindo uma massa com até 2 vezes a massa do nosso sol, seu campo gravitacional pode aniquilar todo um sistema solar ao transitar no meio.

A tecnologia dos veículos lançadores reutilizáveis (já existentes) tornará viável um empreendimento desse nível no médio e longo prazos.

Fonte: Documentários Premium

Assista uma compilação dos 5 anos de filmagens do Sol pelo SDO da Nasa

Em 11 de fevereiro de 2015 se passaram 5 anos desde o lançamento do SDO-Solar Dynamics Observatory (Observatório Dinâmico Solar), da NASA, que proporciona imagens incrivelmente detalhadas de nossa estrela Sol 24 horas por dia. Captura imagens várias vezes por segundo, o SDO forneceu imagens claras e sem precedentes das explosões solares desde o seu lançamento em 11 de fevereiro de 2010. As imagens fixas também são cativantes, permitindo que se possa assistir ao balé constante de material solar através da atmosfera do Sol, a corona.

Em homenagem ao quinto aniversário do SDO, a NASA lançou este vídeo mostrando os destaques dos últimos cinco anos de observação do sol. Assista ao filme para ver nuvens gigantes de material solar dezenas de vezes maiores que o nosso planeta, arremessadas para o espaço, a dança de laços gigantes que pairam na corona, e enormes manchas solares crescendo e encolhendo na superfície solar.

As imagens (convertidas em filme) são um exemplo do tipo de dados que o SDO fornece para os cientistas. Ao observar o sol em diferentes comprimentos de onda – e, portanto, diferentes temperaturas – os cientistas podem assistir ao movimento do material através da corona, que detém pistas para o que poderia provocar essas erupções solares; o que aquece a atmosfera do Sol até 1.000 vezes mais quente que a sua superfície, e por quê campos magnéticos do Sol estão constantemente em movimento.

Cinco anos depois de sua missão, a SDO continua a enviar de volta imagens tentadoras para incitar a curiosidade dos cientistas. Por exemplo, no final de 2014, a SDO capturou imagens das maiores manchas do sol vistas desde 1995, bem como uma torrente de intensas erupções solares. As labaredas solares são explosões de luz, energia e raios-x. Podem ocorrer por si ou podem ser acompanhadas pelo que é chamado de ejeção de massa coronal, ou CME, em que uma gigantesca nuvem de material solar estoura fora do sol, atinge velocidade de escape e dirige-se para o espaço. Neste caso, o sol produziu apenas labaredas e não há CMEs, embora não seja inédito, é um pouco incomum para labaredas desse tamanho. Os cientistas estão analisando os dados neste momento para ver se podem determinar quais circunstâncias poderiam levar o sol a ter essas labaredas.

Goddard construiu, opera e administra a sonda SDO para missões diretoras e científicas da Nasa, em Washington, DC; a SDO é a primeira missão da NASA com um programa estelar. O objetivo do programa é desenvolver o conhecimento científico necessário para lidar com esses aspectos do sistema Sol-Terra que afeta diretamente a nossa vida e sociedade.

Fonte: NASA

Início – a verdadeira história do universo e provável futuro em 6 minutos

Em “Beginning” (início em inglês), o divulgador científico Hashem AL-ghaili, retrata em apenas 6 minutos, como a ciência descreve o início do universo, da vida e até mesmo como será o fim da terra nos próximos 5 bilhões de anos, onde o nosso Sol passará á fase gigante vermelha e expandirá sua massa até vaporizar nosso planeta terra, até lá, os futuros cidadãos do planeta já estarão morando em outros planetas ao redor de outras estrelas, assim espero.

Créditos: Universo Racionalista

Créditos: Hashem AL-ghaili

Créditos: Facebook Sci-Tech

A NASA responde – O mundo não vai acabar em 2012

Uma imagem “mármore azul” da Terra tirada pela Radiometer Imager Visible/Infrared Suíte instrumento (VIIRS) a bordo do satélite Suomi NPP da NASA. Esta imagem composta usa um número de faixas da superfície da Terra, tiradas em 4 de janeiro de 2012. Créditos: NASA/NOAA/GSFC/Suomi NPP/VIIRS/Norman Kuring

Uma imagem “mármore azul” da Terra tirada pela Radiometer Imager Visible/Infrared Suíte instrumento (VIIRS) a bordo do satélite Suomi NPP da NASA. Esta imagem composta usa um número de faixas da superfície da Terra, tiradas em 4 de janeiro de 2012. Créditos: NASA/NOAA/GSFC/Suomi NPP/VIIRS/Norman Kuring

Perguntas respondidas pela Nasa sobre os boatos de fim de mundo em 2012.


Existem ameaças para a Terra em 2012? Muitos sites da internet dizem que o mundo vai acabar em dezembro de 2012?

O mundo não vai acabar em 2012. Nosso planeta vem resistindo a todos os tipos de ameaças cósmicos por mais de 4 bilhões de anos, e os cientistas em todo o mundo não conhecem nenhum tipo de ameaça associada com 2012.


Qual é a origem da previsão de que o mundo iria acabar em 2012?

A história começou com alegações de que Nibiru, um planeta supostamente descoberto pelos sumérios, está se dirigindo para a Terra. Esta catástrofe foi inicialmente prevista para maio de 2003, mas quando nada aconteceu a data do fim foi movida para dezembro de 2012 e ligada ao fim de um dos ciclos do calendário Maia, no solstício de inverno em 2012 – daí a data do fim do mundo previsto para 21 de dezembro de 2012.


Será o fim do calendário maia em dezembro de 2012?

Assim como o calendário que você tem em sua parede da cozinha não deixará de existir após 31 de dezembro, o calendário Maia não deixará de existir em 21 de dezembro de 2012. Esta data é o final do período de contagem mais longo, mas depois – assim como seu calendário começa novamente em 1 de janeiro – outro longo período de contagem começa para o calendário Maia.


A NASA está prevendo um “apagão total” na Terra entre 23 a 25 dezembro?

Absolutamente não! Nem a NASA, nem qualquer outra organização científica está prevendo tal apagão. Os relatórios falsos sobre esta reivindicação de que algum tipo de “alinhamento do Universo” irá causar um apagão. Não há esse alinhamento (ver pergunta seguinte). Algumas versões deste rumor citam uma mensagem de preparação para emergências do administrador da Nasa, Charles Bolden. Isto é simplesmente uma mensagem incentivando as pessoas a se preparar para emergências, registrados como parte de uma ampla campanha do governo para preparação. Ele nunca menciona um apagão.


Poderiam os planetas se alinhar de uma forma que impactasse a Terra?

Não há alinhamentos planetários nas próximas décadas e até mesmo se estes alinhamentos ocorressem, seus efeitos sobre a Terra seriam insignificantes. Um alinhamento maior ocorreu em 1962, por exemplo, e outros dois aconteceram durante 1982 e 2000. Todo mês de dezembro a Terra e o Sol se alinham com o centro aproximado da Via Láctea, sendo um evento anual com nenhuma consequência.


Existe um planeta anão ou marrom chamado Nibiru ou Planeta X ou Eris que está se aproximando da Terra e ameaçando nosso planeta com a destruição generalizada?

Nibiru e outras histórias sobre planetas retrógrados são uma farsa que circula pela Internet. Não há nenhuma base factual para essas reclamações. Se Nibiru ou Planeta X eram reais e se dirigissem para um encontro com a Terra em 2012, os astrônomos teriam detectado sua aproximação por pelo menos uma década antes, e seria visível até mesmo a olho nu. Obviamente, não existe. Eris é real, mas é um planeta anão semelhante a Plutão, residindo no sistema solar exterior; o mais próximo que ele pode vir à Terra é cerca de 4 bilhões de quilômetros.


O que é a teoria do deslocamento polar? É verdade que a crosta da Terra faz uma rotação de 180 graus em torno do núcleo em questão de dias, se não horas?

A inversão da rotação da Terra é impossível. Há movimentos lentos dos continentes (por exemplo, a Antártida estava perto do equador há centenas de milhões de anos atrás), mas isso é irrelevante para reivindicações de inversão dos polos de rotação. No entanto, muitos dos sites sobre desastre enganam as pessoas com informações falsas. Eles reivindicam uma relação entre a rotação e a polaridade magnética da Terra, que muda de forma irregular, com uma inversão magnética que ocorre a cada 400 mil anos, em média. Tanto quanto sabemos, tal reversão magnética não causa qualquer dano à vida na Terra. Os cientistas acreditam que uma reversão magnética é muito improvável de acontecer nos milênios seguintes.


A terra está em perigo de ser atingida por um meteoro em 2012?

A Terra sempre foi sujeita a impactos de cometas e asteroides, embora grandes impactos sejam muito raros. O impacto da última grande era do Cretáceo há 65 milhões de anos atrás, e que levou à extinção dos dinossauros. Hoje os astrônomos da NASA estão realizando um levantamento chamado Pesquisa Spaceguard (monitorar o espaço) para encontrar quaisquer grandes asteroides próximos da Terra muito antes de uma possível colisão. Nós já determinamos que não há asteroides ameaçadores tão grandes quanto o que matou os dinossauros. Todo este trabalho é feito abertamente com as descobertas publicadas todos os dias no site Near-Earth, construído com esse objetivo pela NASA, para que você possa ver por si mesmo que nada está previsto para acontecer em 2012.


Como é que os cientistas da NASA se sentem sobre reivindicações do fim do mundo em 2012?

Para quaisquer alegações de desastres ou mudanças dramáticas em 2012, onde está a ciência? Onde estão as provas? Não há ninguém, e por todas as afirmações ficcionais, se são feitas em livros, filmes, documentários ou através da Internet, não podemos mudar esse fato simples. Não há provas credíveis para qualquer uma das afirmações feitas no apoio de eventos incomuns que ocorreriam em dezembro de 2012.


Existe um perigo de gigantes tempestades solares previstos para 2012?

A atividade solar tem um ciclo regular, com picos que ocorrem a cada 11 anos aproximadamente. Perto desses picos de atividade, explosões solares podem causar uma interrupção das comunicações por satélite, embora os engenheiros estejam aprendendo a construir eletrônicos que estão protegidos contra a maioria das tempestades solares. Mas não há riscos especiais associados a 2012. O próximo máximo solar ocorrerá no período de tempo 2012-2014 e está previsto para ser um ciclo médio solar, não diferente de ciclos anteriores ao longo da história.

Fonte: Nasa